O QUE PENSAM OS JOVENS SOBRE O FUTURO?

ComportamentoTendências

Em 2019, a plataforma de inteligência da Revista Vice realizou a pesquisa “O Que Pensam os Jovens Sobre o Futuro”, que aponta várias questões sobre as próximas temporadas e a mentalidade daqueles que vão transformá-las em realidade – a geração Z, os nascidos a partir de 1995.


Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Women Photograph Ukraine (@womenphotograph.kyiv) em


Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por #Capreceat66 (@capreceannjackson) em

 


Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por The Oxygen Project (@theoxygenproj) em

Dos 30.000 entrevistados, 6 em cada 10 afirmaram que esperam que seus locais de trabalho e escolas tenham conselheiros de saúde mental até o fim da década (2030). Com a pandemia, muitos destes “vislumbres do futuro” tornaram-se necessidades do presente: o futuro causando ansiedade (62%), a necessidade de terapia (64%), a importância de um sistema de saúde universal (94%), o cuidado com a alma (87%) e a espiritualidade além das religiões organizadas (60%), flexibilidade do horário de trabalho (68%), o trabalho formal e a atividade secundária (51%). Veja a pesquisa completa aqui (em inglês): 030.vice.com/


Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por por andré carvalhal (@carvalhando) em


No Brasil, o Conselho Nacional da Juventude (CONJUVE), em parceria com Fundação Roberto Marinho, Rede Conhecimento Social, Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Em Movimento, Visão Mundial, Mapa Educação e Porvir, lança a pesquisa Juventudes e a Pandemia do Coronavírus, um estudo que construído com base no olhar atual dos jovens brasileiros e que nos ajuda a entender panorama do nosso país. O site oficial da pesquisa mostra os destaques de quatro cenários: economia, emprego e renda, educação e aprendizagem, contexto e expectativas e hábitos, saúde e bem-estar.Sem Título-1
As novas demandas de consumo evoluem de novos comportamentos sociais e individuais: maior preocupação com a saúde e a higiene desenvolveram tecnologias como a RVB SAFE, que combate a contaminação cruzada de vírus e bactérias e tem durabilidade vitalícia, os itens básicos ganham um toque elegante e orgânico com texturas e apelo ecológico, além dos processos de produção mais sustentáveis e otimizados, toque macio e liberdade total de movimentos que oferecem sensação de conforto que também acolhe a alma – tão necessário em tempos transitórios como este. Como indivíduos e profissionais, estamos todos nos adaptando às constantes mudanças na vida pessoal e no trabalho. Olhar para dentro nos faz identificar nossas necessidades reais, que refletem diretamente na oferta de produtos que encontramos em todos os mercados.

Esta entrada foi publicada em Comportamento, Tendências. Adicione o link permanente aos seus favoritos.
_ Publique um comentário