O FIM DAS TEMPORADAS DE INVERNO E VERÃO

ComportamentoCulturaDesfilesFashionTendências

Tendências mais duradouras, alterações climáticas e o eterno verão do Brasil são as principais razões da necessária adaptação do calendário da moda nacional, um movimento que está transformando a moda global e ganhou ainda mais relevância com a revisão de valores e prioridades pessoais impulsionada pela pandemia (que ainda não acabou).


Moda também é comunicação e atua como um reflexo das mudanças sociais, políticas, culturais e artísticas de sua época. E com tanta agitação ocorrendo no mundo – a valorização das minorias, o questionamento do sistema político, a necessidade de meios de produção mais sustentáveis – os desejos de consumo vão muito além do must have da temporada, com peças inteligentes e confortáveis feitas para durar e vestir tanto do inverno quanto no verão, uma vez que o aquecimento global tem equalizado o clima das estações. Segundo relatório do Renata Abranchs Bureau, marcas que falam mais sobre comportamentos do que sobre produtos têm maior êxito comercial.


Assim surge uma nova maneira de planejar e desenvolver as coleções de moda no Brasil, com a nossa própria cultura fortalecendo o nosso DNA criativo. Adaptar movimentos estrangeiros para a nossa realidade é o segredo e aqui na RVB estamos sempre atentos ao comportamento de consumo nacional e internacional, especialmente neste momento atípico em que vivemos onde estamos assumindo o conforto do loungewear para além dos momentos em casa. Atemporalidade contemporânea é um termo até antagônico, mas que sintetiza os tempos atuais.

Esta entrada foi publicada em Comportamento, Cultura, Desfiles, Fashion, Tendências. Adicione o link permanente aos seus favoritos.
_ Publique um comentário